Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

asimplesvidadejoaorapaz

É o João que é um rapaz que tem uma vida simples.

19
Out12

NEVER BACK DOWN

asimplesvidadejoaorapaz

Estou para escrever sobre duas coisas, mas... não sai, não ainda... falarei depois... falo então sobre algo que liga as duas... a obstinação, persistência, a força de vontade e o querer que nos leva mais além... Eu fui um puto nada obstinado, tinha as minhas coisas, não me custavam esforço por aí além... na escola facilmente destacava-me... em terra de cegos quem tem um olho é Rei... e fui me deixando andar... depois comecei a padecer de um problema que só mais tarde me apercebi dele e o quanto grave era... o deixar andar, o desistir, o desmotivar... não vou falar muito de quando e como é que isso se manifestou, e as coisas que eu perdi ou não concretizei por simplesmente não ter vontade... e um dia, assim por um acaso da vida, quase como de um momento para o outro fez-se luz... ou eu mudava e procurava e lutava, ou nada mudaria à minha volta... e se o que estava à minha volta até era tranquilozinho, não era de todo suficiente... então tentei... e fui tentando, e lentamente fui mudando, e aos poucos as coisas foram mudando à minha volta, até alcançar coisas de valor e determinantes para a minha vida futura, ganhei forças e resistências capacidades de luta e sacrifício inimagináveis em mim... e fui eu mais ninguém, por mais que me dissessem, se não fosse eu a querer mudar e perceber que aquele não era o caminho, mas sim outro não definido, mas a definir por mim... Hoje falo de uma coisa, um sentimento, ou uma característica que existe em mim, e uso em quase tudo, ou melhor já não a uso, está entranhado em mim, que é espírito de missão... parece tudo a que me proponho, ou tenho para fazer ou ser, encaro como uma missão em que é imperativo não falhar, muito menos abandonar ou desistir... é assim na luta dia a dia que eu vivo, e não peço que venham atrás ou que me acompanhem, apenas me deixem ser assim...

 

Não sou pessoa de me motivar com coisas ou músicas ou pessoas ou histórias, geralmente encontro tudo o que preciso cá dentro... mas deixo aqui 3 músicas relativamente recentes que, de certa forma, estão na origem e na finalidade de ir em frente e lutar sempre, por mais obstáculos que apareçam à nossa frente...

 

http://www.youtube.com/watch?v=bxV-OOIamyk

 

http://www.youtube.com/watch?v=mk48xRzuNvA

 

http://www.youtube.com/watch?v=jZhQOvvV45w

12
Out12

3 coisas e tudo a ver...

asimplesvidadejoaorapaz

tenho o hobby de quando faço viagens maiores, andar constantemente a mudar de rádio à procura daqueles tesourinhos que por vezes apanhamos nas rádios locais... desta vez, não foi numa rádio local, mas foi na rdp África... uma música que a sei de cor já para aí há quase uns 20 anos... Tabanka Djaz - Bacú... o que eu dancei esta e outras músicas quando era puto... eramos putos... bailaricos e mais bailaricos, adorava dançar, adorava conviver... as descobertas da época, e livre de ouvir e fazer o que quisesse... hoje em dia ainda dou por mim a catarolar o Bacú... não encontrei a versão ao vivo que deu na rádio e estava espectacular, mas aqui fica o original de há quase duas decadas atrás...

 

http://www.youtube.com/watch?v=BDbVqL202f4

 

em vez de ir para casa fui fazer uma surpresa à minha família... claro que acabei a falar com a minha avó sobre as coisas da vida... sempre naquele tom descontraído tão nosso... de quem sabe relativizar e brincar com esta cena que chamam vida...

estava eu a queixar-me à velhota que já tinha 32... era muito... e ela queixava-se que tinha 88, e que nem se lembrava onde já iam os 32 dela... e eu a brincar lá lhe disse que com o mal dela posso eu bem... hehe... "pois é avó já estou velho, já passou tudo, a escola, os namoros, as brincadeiras o desporto... agora é só trabalhar e criar filhos má nada..." "óh filho o que será que vais dizer quando chegares aos 88?!?" "eu 88?? Deus me livre!!!" e rimos naquela cumplicidade só nossa de 30 anos do mais puro amor...

 

esta manhã cá estava eu a vestir a gaiata para a levar à escola, fartinho de ver e ouvir o Kipper o Cão... "óh filha deixa o pai por um bocadinho de música?" surpreendentemente... "Está bem pai!" nem a propósito esta a dar o Calvin Harris com a Florence Welch "Sweet Nothing" (a vida feita de doces nada), nem a propósito mesmo... e ali ficámos os dois no sofá da sala a curtir a música, ela lá se abanava ao som da música, contente por o pai partilhar com ela um gosto dele, enquanto eu lá a ia vestindo a custo devido à dança... mas sem birras, na pura, na cumplicidade... claro que depois no carro teve de ser uma música dela.... e lá ela ia mandando "canta pai!" e eu lá cantarolava a gotinha plim plim com ela a cantar também e a controlar-me pelo retrovisor a ver se eu lá cantava em condições...

 

http://www.youtube.com/watch?v=17ozSeGw-fY

 

claro que a cada esquina que dobro lá encontro, quer queira que não um doce nada, que me transporta a outras vidas outras realidades, sonho por um segundo e volto de seguida aos novos doces nada que orientam agora a minha vida... por todo o respeito que tenho pela minha avó, e pela memória do meu avô, e por toda a restante família, que é simplesmente fantástica, é meu destino seguir o seu legado e tentar fazer pelos meus filhos aquilo que eles fizeram por mim...

 

 

11
Out12

SONATA DE OUTONO

asimplesvidadejoaorapaz

SONATA DE OUTONO

 

 

Inverno não ainda mas Outono

Na sonata que bate no meu peito

Poeta distraído, cão sem dono

Até na própria cama em que me deito

 

Inverno não ainda mas Outono

Na sonata que bate no meu peito

Acordar é a forma de ter sono

O presente o pretérito imperfeito

 

Mesmo eu de mim próprio me abandono

Se o rigor que me devo não respeito

Acordar é a forma de ter sono

O presente  o pretérito imperfeito

 

Morro de pé

Mas morro devagar

A vida é afinal o meu lugar

E só acaba quando eu quiser

Não me deixo ficar

Não pode ser

Peço meças ao Sol, ao céu, ao mar

Pois viver é também acontecer

 

A vida é afinal o meu lugar

E só acaba quando eu quiser

 

http://www.youtube.com/watch?v=vdCEn_wWm2I&feature=related

 

José Carlos Ary Dos Santos

10
Out12

SYBILLA

asimplesvidadejoaorapaz

Nos últimos dias tenho perdido a paz que me custa tanto encontrar, e nem é absoluta, é a espaços... é assim tipo um aperto que vai apertando a pouco e pouco... pois se eu não consigo fugir, e até procuro, simplesmente rendi-me... em boa hora o fiz... primeiro apertou muito e até sufocou... depois... é lindo... é avassalador... e triste também, injusto de inteira justiça... e no meio de todas estas contradições, que me inquietam, e me fazem procurar por respostas que eu sei que não existem... no meio de tudo... um misto de felicidade e tranquilidade se aproxima de mim, apenas se aproxima... por muito do que fui... e por tudo o que irás ser... SYBILLA

 

http://www.youtube.com/watch?v=aaPjtnZk6mg&feature=related

09
Out12

250km certinho direitinho

asimplesvidadejoaorapaz

chego aqui ao início deste texto já cansado, como sempre aliás... e falava eu em coincidências... hoje foi um dia de bater com as ventas no passado consecutivamente e repetidamente... apetecia mesmo descrever tim tim por tim tim as merdas por que passei nestas últimas 6 horas... é o Diabo que anda à solta...fui forçado literalmente a vasculhar nas coisas e dentro de mim, nas recordações... até as merdas das pulseiras que eu usava... e caixinhas de lentes de contacto... isqueiros... livros, roupas, papéis, filmes... para quê estar aqui a descrever.. tudo!! e o pó a morder-me o nariz... que irritação, alguém lá em cima anda a mangar com um gajo... e depois mesmo no fim dos fins... acontece-me a cereja no topo do bolo... quer dizer pior só mesmo se se atirassem para a frente do carro... lócura... e nem falo de certas e determinadas superfícies comerciais, e certos bairros periféricos, e certos veículos de locomoção automóvel... mas será que isto acontece a toda a gente??? Mas os outros também tem de viver assim como eu?? Gostava de saber como é que aguentam, isto é de insanos... eu só não peço tréguas e declaro paz porque definitivamente já não sei viver de outra forma... já há séculos que passei o ponto do não retorno... daqui é só queda livre até me esborrachar no chão...

 

agora pensei, será que um dia que estas merdas de coincidências e lembranças e coisas do demo deixarem de existir eu vou ter saudades???

 

250km certinho direitinho, é que está mais que visto... ou será 052km?? isso seria assombroso!!!

 

09
Out12

(In)felicidades

asimplesvidadejoaorapaz

eu sei que escrevo uma série de barbaridades, exageros, fingimentos, tropelias várias inverosímeis e outras coisas mais... eu gosto das pessoas, não de todas mas das que gosto... gosto!! sinceramente nunca fui pessoa de preencher com o sofrimento alheio por mais detestável ou desconhecido que o sofredor fosse... da mesma forma que sinto-me aconchegado com a felicidade dos outros... mais com os outros de quem gosto, que merecem... A mim não reclamo felicidade... felicidade é um estado de alma (para mim), e já escrevi tanto directa ou indirectamente sobre a "minha" felicidade que cansa... sim tenho coisas que me deixam muito feliz... tenho outras que me dão uma certa realização pessoal... tenho ligações pessoais que me confortam por vezes... mas eu sei que cada vez mais, nas coisas mais intímas sou eu e só eu... habituado desde sempre a resolver os meus problemas e a lidar com os meus demónios... por vezes invejo um bocadinho só... nem é inveja porque não invejo ninguém nem nada... admiro quem procura e encontra nas almas gémeas ou na sua alma gémea o conforto e as respostas... que nunca sequer procurei, quanto mais encontrei nos outros... e talvez seja por aí que eu sou assim tão solitário em mim, mas com tanta gente por perto... Desempenho os papeis que me foram atribuídos pela sociedade... cumprirei com as minhas responsabilidades, mas inevitávelmente ficarei sempre só em mim e para mim...

Então que sejam felizes... cá ficarei com as minhas ideias e coisas, vendo os outros a seguirem os seus caminhos... e que sejam felizes à vossa maneira, que descubram os vossos caminhos... e é tudo!

08
Out12

chillout blackout humor

asimplesvidadejoaorapaz

há uma coisa engraçada... eu que sou um gajo sem quaisquer escrúpulos, fico inquieto, até com sentido do dever não cumprido quando passo demasiado tempo sem escrever aqui... ridículo, para quem não segue regras... por outro lado quando aqui escrevo, e tenho vontade de escrever com regularidade... fico inquieto com a ideia que possa transmitir algum tipo de inquietude, ou necessidade de dizer algo ou mandar recados... cenas... minhas...

as minhas condições, não são condições para ninguém, ainda me admiro quando se admiram com as condições que não imponho, mas que são as condições...

eu sei que chateia dizer constantemente isto, mas nunca irei perceber porque é que eu percebo tantas coisas antes mesmo delas serem perceptíveis...

Porque é que as pessoas são bonitas ou querem ser bonitas?? Não lhes basta serem normais?? Eu sou extremamente bonito, mas não faço por isso.. nasci assim...

no outro dia lembrei-me quando num teste de virilidade dei por mim sentado a uma mesa de bar com duas psicólogas, uma que iria casar dali a 6 horas (com comprovativo do registo civil e tudo) e outra que se iria casar dentro de 3 meses... a última com um bocadinho de jeito mudava de ideias em relação a casamentos tão prematuros... mas eu sou um senhor, não estrago casamentos!! Quem ficou chateado foi o camarada, porque lhe acabei com o sonho de ser o ponto final na despedida de solteiro da outra... não se faz...

os homens contam histórias... são uns contadores de histórias... são uns heróis... todas as histórias que eu conto não valem nada comparadas a todas aquelas que não conto... nem a mim...

no outro dia estava a pensar na grande falha que é isto dos blogs e das vidas paralelas e anónimas em particular.... haverá muita gente a se questionar porque é que este ou aquele terá deixado de dar sinal de vida... e sem forma de o saber... secalhar morreu!! Blogs abondonados por morte do artista devem ser à pasada... isto dos blogs e nets e o camandro já dura há  uns anos... muita boa gentinha já quinou entretanto...

e com esta vos deixo...

07
Out12

água e sorrisos

asimplesvidadejoaorapaz

pois andava eu por aí... por este Portugal digamos... quando parei para beber uma água das pedras... de fundo algo de familiar tocava... a parte instrumental de uma versão de uma música... são sonhos que sonhei e que por vezes fazem o favor de me dizerem olá... eu sorrio, como sempre o fiz... já sorri de dor, saudade, melancolia... agora apenas sorrio...

 

 

06
Out12

a alma que reclama

asimplesvidadejoaorapaz

coincidências... é sempre um bom ponto de partida para um filme... quantos filmes não transpoem a casualidade da coincidência para algo bem mais engenhoso... dejá vu... expressão francesa e tal que quer dizer qualquer coisa como já visto... quantos filmes não pegam no dejá vu e fazem dele um reflexo de uma realidade que está para lá da nossa percepção... já tive a minha quota parte de ambos... destino... dizem os entendidos nessa coisa do destino que ele já está traçado... haverá sobre nós alguém que escreve direito por linhas tortas e portanto o destino traçado e escrito é fatal... não haverá volta a dar... lá está, fatal como o destino... eu sorrio... vejo por vezes tanta desgraça por aí que custa-me a acreditar que alguém traçasse tão negro destino a tantos inocentes que sofrem... que sofrem por vezes às mãos de ilustres crápulas a quem o destino lhes sorrio e sorrirá... fui ensinado a acreditar na força de cada um... no destino que cada um constrói para si... afastado de tudo o que é imaterial, ou irracional, ou que não se vê... andei muitos anos a tentar perceber porque é que tudo tinha de ser assim, tão curto, tão condicionado, tão momentâneo, tão efémero, tão fugaz... pois se não fosse, alguém se preocuparia em viver, em arriscar, em mergulhar... vivemos a termo, sem sequer termos a percepção desse termo, ou se a temos é porque estamos mal... então porque não acreditar que os dejá vus desta vida têm um brilho especial que vem do fundo de algo que não se vê mas que eu acredito que exista... a nossa alma...

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub